Anotação de Aula

RESUMO DIRIGIDO

CONCEITOS BÁSICOS DE GEOLOGIA
* Em primeiro lugar, é necessário entender que Geologia não é Geomorfologia. A Geomorfologia estuda a superfície, o processo de formação e transformação do relevo, já a Geologia é a ciência que estuda a origem e as transformações da crosta terrestre.
* Os agentes endógenos ou internos possuem maior força de transformação da crosta a partir do movimentos de placas tectônicas. Essa movimentação ocorre pela ação do núcleo, manto e da crosta, os quais compõem o interior da Terra. Lembre que o interior da Terra é como se fosse um ovo (gema = núcleo , clara = manto , casca = crosta).

MOVIMENTAÇÃO DAS PLACAS TECTÔNICAS

* Um cientista alemão chamado Alfred Wegener fez um estudo e constatou que a Terra era dividida em placas e estas se movimentavam, o cientista alemão tentou provar sua tese por conta de restos de fósseis e fragmentos de rochas encontrados na África e na América do Sul, ambos apresentavam as mesmas características, sendo assim, comprovando que os dois continentes no passado geológico se encontravam juntos. A comunidade científica da época não acreditou e a tese da Deriva Continental não foi ratificada. Depois de décadas, cientistas com usos de equipamentos tecnológicos (sonar) constataram que a teoria da Deriva Continental era verdadeira. O equipamento verificou que os continentes da África e da América do Sul se separam ano a ano poucos centímetos. Essa teoria ficou conhecida como a Tectônica de Placas.

* Existem três tipos de movimentos de placas tectônicas: convergente, divergente e transformante.

– O movimento convergente é o choque das placas tectônicas, que pode ser de subducção (oceânica com continental) ou obducção (continental com continental). Exemplos: Andes (Placa Nazca com Sul-Americana por subducção) e Himalaia (obducção).

– O movimento divergente é a separação de placas tectônicas. O melhor exemplo é a placa Africana e Sul-Americana, desta separação temos a formação da Dorsal Meso-Atlântica, a maior cadeia montanhosa em extensão da Terra, localizada no meio do oceano Atlântico.

– O movimento transformante é o processo de deslizamento horizontal de duas placas. O melhor exemplo é a falha de San Andreas na Califórnia. A região com maior intensidade sísmica e tectônica do mundo é a região conhecida como Círculo do Fogo entre a Ásia e a América. Nela, há vários movimentos das placas gerando instabilidade geológica na região.

OROGÊNESE E EPIROGÊNESE

*Orogênese e Epirogênese – ou, simplesmente, orogenia e epirogenia – são tipos de classificação dos movimentos tectônicos. Tal classificação foi realizada para que fosse possível entender os processos gerados pelo tectonismo, haja vista que este fenômeno pode apresentar diferentes comportamentos, ter tempos de duração variados e resultados distintos.

OROGÊNESE: quando os movimentos internos da Terra são de curta duração (sob o ponto de vista geológico) e caracterizam-se pelo choque entre duas placas tectônicas distintas, dá-se o nome de orogênese, ou movimentos orogênicos. Este processo costuma ocorrer em formações geológicas recentes e instáveis. Os resultados dos movimentos orogênicos são a formação de grandes cadeias de montanhas e cordilheiras, uma vez que o encontro entre as placas provoca o soerguimento do relevo terrestre. Além disso, a orogênese provoca, também, o surgimento de vulcões e falhas geológicas, grandes responsáveis pelos abalos sísmicos e terremotos.

*EPIROGÊNESE: quando os movimentos internos são de longa duração (também sob o ponto de vista do tempo geológico), com a ocorrência de movimentos verticais, dá-se o nome de epirogênese ou movimentos epirogênicos, que provocam o soerguimento (a elevação de altitudes sem dobras ou falhas) ou a subsidência (o rebaixamento das altitudes de um determinado relevo). A epirogênese costuma ocorrer em terrenos estáveis e de formação geológica antiga, ou seja, mais planos e menos acidentados. Por não apresentar dobras e falhas, não proporciona terremotos ou vulcanismo, além de abranger áreas de dimensões continentais.

Deixe um comentário