Agricultura Brasileira

24 comentários em “Agricultura Brasileira”

  1. que aula maravilhosa! a história do seu Alcides é basicamente a da minha família. Meus avós vieram de São Bento do Una em PE, pra trabalhar na cidade. Meu avô era porteiro, faxineiro, o que tivesse. Tiveram 4 filhos que trabalharam desde muito jovens. Meu pai na feira na barraca de frango! Meus avós no nordeste trabalhavam na roça, cuidando de gado, meu bisavô era um pequeno produtor de gado e agricultura familiar. O dinheiro que meu avô ganhava pra cá ia parte pra lá, pra ele sobreviver! Que tempos difíceis! agora estou aqui, graças a Deus, tendo oportunidade de estudar. O Jean me ajudou a ser aprovada na USP em 2019 em letras e agora estou tentando medicina. Força que vamos todos chegar lá!

    Responder
    • Rapaz! A história do Alcides lembrou a da minha mãe que trabalhava colhendo algodão em Mulungú, PB, e teve que vir para o RJ ainda adolescente pra trabalhar em casa de família. Mandava parte do dinheiro pra ajudar a minha falecida avó e as irmãs. Conseguiu trazer todos para o RJ. Minha mãe foi uma guerreira. Certo dia, quando eu já era adulto ela me contou parte da história da vida dela, foi impossível não se emocionar com tanto sofrimento e superação. As histórias de vida no Brasil, se cruzam e se confundem.

      Responder
    • Infelizmente o MST se tornou, quase em sua totalidade, um movimento político com interesses próprios de poder, corrupção. Seu objetivo, nobre, a reforma agrária, perdeu de vista e se tornou apenas um “bode expiatório”, plataforma de outros interesses nada republicano. A reforma agrária precisa ser resgatada em sua origem.

      Responder
  2. Aula crítica, atual e nos mostra a origem de várias problemas sociais que o Brasil vive. Excelente aula, parabéns pelo trabalho professor, tamo junto!

    Responder
  3. Excelente aula crítica, parabéns pelo seu trabalho. Uma das se não a melhor aula que eu já assisti, seu silêncio após contar a história do Seu Alcides é um grande soco no estômago….

    Responder

Deixe um comentário